Vereadora tem casa invadida e família feita de refém, no Agreste da PB

22/11/2020
Vereadora de Lagoa Seca tem casa invadida e família feita de refém. Suspeitos levaram uma televisão, uma moto, dois celulares e uma quantia em dinheiro. — Foto: Marques de Souza/TV Paraíba
Vereadora de Lagoa Seca tem casa invadida e família feita de refém. Suspeitos levaram uma televisão, uma moto, dois celulares e uma quantia em dinheiro. — Foto: Marques de Souza/TV Paraíba
 A casa da vereadora Maria José Policarpo, conhecida como Zezé da Verdura (PP), foi invadida por assaltantes na noite desta sexta-feira (21), no Sítio Oití, zona Rural de Lagoa Seca, Agreste paraibano. Os familiares da vereadora foram feitos de reféns. Zezé da verdura foi reeleita ao cargo de vereadora da cidade no último domingo (15), com 681 votos.
 
De acordo com a vereadora, quatro homens chegaram à casa em um carro prata, por volta das 20h30. Dois deles teriam ficado dentro do veículo e os outros dois invadiram a casa armados. No momento do crime, somente o esposo e o filho da vereadora de 14 anos de idade estavam na casa. Os bandidos os renderam e trancaram dentro do banheiro.
 
Pouco tempo depois, o outro filho da vereadora, também um adolescente de 17 anos, chegou à casa e foi feito de refém. Em seguida, a vereadora também chegou ao local e foi rendida quando estava guardando o carro. Por último, o filho mais velho de Zezé, de 23 anos, chegou em uma moto e foi surpreendido pelos suspeitos.
 
Acompanhe o Bananeiras Online também pelo twitterfacebookinstagram e youtube
 
 
Segundo relatou a vereadora, os bandidos pediam dinheiro e uma suposta arma que ela teria na casa, mas ela dizia a todo instante que não tinha arma em casa. Os suspeitos chegaram a agredir os três filhos dela.
 
Em seguida, os quatro suspeitos fugiram do local levando a televisão de 43 polegadas, uma moto 160, os celulares e dinheiro. De acordo com Zezé, o dinheiro era parte do salário que ela havia recebido.
 
A moto, que era do filho mais velho, foi abandonada pelos criminosos e encontrada ainda durante a noite.
 
A vereadora registrou a ocorrência na Central de Polícia de Campina Grande, pois a delegacia de Lagoa Seca não tem plantão durante o final de semana. Por isso, o delegado da Polícia Civil de Lagoa Seca, Eduardo Almeida, ficará responsável por investigar o caso, mas só receberá a ocorrência na próxima segunda-feira (23).
 
Por G1 PB



Outras Not?cias