Colunista Aline Neves

  • O Novo Perfil Profissional

    15/11/2017

    O mercado de trabalho tem mudado constantemente e ele se impõe ao exigir um novo perfil de profissional: aquele que está em constante mutação. A crise, a recessão, a queda de contratações, a globalização, fechamento de empresas,o aumento do empreendedorismo, tudo isso se apresenta em momento de transição em que é fundamental para o trabalhador buscar um novo modelo de carreira que o prepare para o futuro.

    Atualmente, os funcionários fazem parte de um processo mais dinâmico, profissional e menos amador, o que exige um novo conjunto de competências. Uma das formas de buscar essa adaptação é por meio da educação Ou seja, o mercado ficou mais exigente e a troca de experiências em um MBA, especializações ou cursos rápidos, ajuda a entender melhor o funcionamento das corporações e fazer networking. O profissional precisa ser dinâmico, multidisciplinar. Além disso, hoje o profissional desejado é o que consegue aprender e ensinar dentro das organizações. Em um mercado em constante mudança, a palavra de ordem é manter-se atualizado às diversas demandas.

    Comprometimento, visão sistêmica, busca pela melhoria contínua, liderança, comunicação assertiva, resiliência, são competências necessárias para este novo mercado cada vez mais global e dinâmico, independente do cargo em que atua, hoje se faz necessário tais características. 

    Os profissionais precisam buscar novas ferramentas de autoconhecimento, e desenvolvimento para que consigam melhorar suas performances de atuação profissional, neste contexto a metodologia do coaching surge como um aliado na busca de novas habilidades e competências no alcance de resultados pessoais e profissionais de forma mais rápida. 

    Coaching é uma metodologia que utiliza técnicas e ferramentas de várias ciências, administração, filosofia, psicologia, sociologia, neurociência, inteligência emocional .Através dela é possível trabalhar o alto desenvolvimento e desenvolvimento de equipes de alta performance para conhecer um pouco mais dessa metodologia entre em contato conosco. 

     

    Por Aline Neves

    Bussiness Executive Coach formada pelo Instituto Brasileiro de Coaching com atuação nas áreas de carreira e liderança. Consultora comportamental e 360°. Consultora de RH com atuação em grandes empresas. Administradora, especialista em gestão de pessoas. Site: alinenevescoach.com.br

  • Como trabalhar o relacionamento interpessoal no trabalho?

    24/10/2017

    A todo momento estamos cercados de pessoas, seja no trabalho, em casa com familiares e, até mesmo em nosso círculo de amigos. Somos seres sociáveis e, por isso, é essencial que saibamos manter estas conexões de forma positiva e permanente, gerando crescimento para ambas as partes. O relacionamento interpessoal é fundamental em qualquer organização, são as pessoas que movem os negócios, estão por trás dos números, lucros e todo bom resultado, daí a importância de se investir nas relações humanas. Nesse novo cenário corporativo, as organizações estão visualizando a importância do relacionamento interpessoal no ambiente de trabalho para promover a eficácia no trabalho. Ter habilidade interpessoal pode ajudar muito no crescimento da carreira. Entretanto, alguns profissionais encontram dificuldade de desenvolver este tipo de competência. O segredo é buscar se relacionar bem com todo tipo de pessoa. Todos nós sabemos que, para ser efetivo no mundo corporativo, é necessário construir sólidas pontes ao nosso redor. O mais importante é segurar ou neutralizar possíveis reações pessoais e se concentrar primeiro nos outros. A seguir algumas dicas importantes de como trabalhar o relacionamento interpessoal no trabalho:

     

    ·         Empatia – Trata-se de considerar os outros, suas opiniões, sentimentos e motivações. Sem isso, não há como chegar a uma negociação ganha-ganha, fruto de um relacionamento equilibrado. A empatia também nos torna capazes de enxergar além do próprio umbigo e ampliar nossa percepção da realidade com os pontos de vista dos outros. Entre as várias coisas que se pode fazer para praticá-la, a mais básica é saber ouvir. Cada pessoa é diferente da outra. Existe, portanto, uma riqueza de variedade e diversidade de indivíduos. O principal, para fazer qualquer coisa importante no mundo corporativo, é a capacidade de ver as diferenças nas pessoas e saber utilizá-las para o bem da organização. Ter habilidade no relacionamento interpessoal é encontrar a pessoa que fará o que você deseja que seja feito.

    ·         Ouvir ativamente: pessoas com habilidade nos relacionamentos interpessoais são boas ouvintes. Elas ouvem para compreender e recebem as informações para escolher melhor a própria reação. Ouvem sem interromper e fazem perguntas para ter um esclarecimento maior. Não julgam imediatamente: a impressão poderá vir depois. Fazem que sim com a cabeça e reafirmam o que a outra pessoa disse, para mostrar que compreenderam. Podem até mesmo fazer anotações. Ouvintes ativos obtêm mais dados.

    ·         Falar mais de si mesmo: fale o que pensa sobre um tema corporativo e pergunte pelo ponto de vista dos demais. Repasse algumas informações que considera que ajudarão os outros a trabalhar melhor ou ampliar seus horizontes. Revele mais coisas sobre si. Revele coisas que as pessoas não precisam saber para fazer um bom trabalho, mas que podem ajudá-las a se sentir valorizadas. Invista tempo e energia para saber e se lembrar de coisas importantes sobre as pessoas ao redor das quais, para as quais e com as quais você trabalha. Tome conhecimento, se possível, de três coisas sobre todos – seus interesses, seus filhos ou um assunto sobre o qual possam conversar além da pauta corporativa. Estabeleça temas sobre os quais possa conversar com cada uma das pessoas com quem trabalha e que transcendam as interações estritamente profissionais.

    ·         Seja Cordial – Tratar as pessoas com cordialidade é ser gentil, solícito e simpático, é demonstrar consideração pelo o outro de várias formas. Pode ser com o “bom dia” com que saudamos o destinatário de nossa mensagem de e-mail, com o ato de segurar a porta do elevador para alguém entrar ou apanhar do chão um objeto que o colega deixou cair. Dizer “obrigado” olhando a pessoa nos olhos, oferecer-se para prestar uma ajuda, cumprimentar aquele com quem cruzamos no corredor, mesmo saber seu nome...

     

    Por Aline Neves

    Bussiness Executive Coach formada pelo Instituto Brasileiro de Coaching com atuação nas áreas de carreira e liderança. Consultora comportamental e 360°. Consultora de RH com atuação em grandes empresas. Administradora, especialista em gestão de pessoas. Site: alinenevescoach.com.br

Anterior - (1) - Prxima